Técnico-administrativos decidem intensificar a luta contra a Reforma da Previdência | SINTUFEJUF

Técnico-administrativos decidem intensificar a luta contra a Reforma da Previdência

Em assembleia geral realizada na manhã de ontem, 25 de janeiro, no anfiteatro da reitoria, os técnico-administrativos em Educação (TAEs) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) decidiram intensificar a mobilização contra a Reforma da Previdência. Para isto, foi aprovado como estratégia convocar o Fórum de entidades da UFJF (APES, Sintufejuf e DCE), Fórum Sindical e Popular de Juiz de Fora, Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Federais (Fonasefe), Federação de Sindicatos de Trabalhadores de Universidades Brasileiras (Fasubra) e todas as centrais sindicais, para fazer juntos uma grande resistência à reforma, ocupando os mesmos espaços de mobilização que ocorreram no primeiro semestre de 2017. Além disso, também será confeccionada uma carta do sindicato aos deputados mineiros pressionando pelo voto contrário à medida, e afirmando que aqueles que votarem favorável à Reforma, terão seus nomes expostos à população para que não sejam reeleitos em 2018. Por fim, a categoria aprovou a disponibilização de um abaixo-assinado eletrônico no site do Sintufejuf.

Conduzida pela coordenadora geral Maria Angela Costa e pelo coordenador geral Flávio Sereno, a assembleia teve início com um minuto de silêncio em respeito ao falecimento do ex-coordenador da Fasubra Paulo Henrique Rodrigues dos Santos e do pai da coordenadora de aposentados dos Sintufejuf, Angelisa da Silva, Mário da Silva. Em seguida, Flávio Sereno comunicou à categoria sobre o prazo para a entrega do Plano Flexibilização da Jornada de Trabalho, que será até o dia 23 de fevereiro e não mais o dia 05.

Antes de dar início à assembleia, a coordenadora de Saúde, Luana Lombardi comunicou à categoria sobre a abertura de inscrição para o projeto “Yoga e Saúde” (veja o link http://www.sintufejuf.org.br/artigo/projeto-yoga-e-saude-abre-inscricoes).


Eleição para conselhos


Respeitando a tradição democrática do Sintufejuf, os TAEs escolheram seus representantes para algumas comissões e conselhos da universidade. Para a “Comissão de Controle de assiduidade e pontualidade” foram eleitos como titulares o coordenador geral do Sintufejuf Flávio Sereno e a técnica-administrativa do Centro de Gestão do Conhecimento Organizacional (CGCO) Cristina Perantoni, e como suplentes, a técnica-administrativa da Faculdade de Medicina Eduarda Knaip, e o técnico administrativo do Instituto de Ciências Exatas (ICE) Gevã Schaefer. Para a “Comissão de Conservação e Energia” foi eleito titular o técnico-administrativo do ICE, Igor Novaes e como suplente, o coordenador do Sintufejuf Paulo Victor Cota. Representando os TAEs na “Comissão de Acompanhamento do Plano de Saúde” foram escolhidos o coordenador do Sintufejuf Márcio Sá Fortes como titular e a aposentada Márcia Aparecida de Paula e Souza como suplente. Márcio Sá Fortes também compôs a “Comissão para Elaboração de Proposta de Política de Afastamento para Capacitação dos TAEs”, junto com Eduarda Knaip e os suplentes pedro Cuco, coordenador do Sintufejuf e Monique Campos, técnica-administrativa da Faculdade de Comunicação. E para o “Conselho Deliberativo do Centro de Ciências”, foram eleitos dois dos técnico-administrativos lotados no Centro de Ciências, Fábio Dias (titular) e Adriano Dias (suplente).

Durante o processo de escolha, foram esclarecidas as dúvidas em relação a cada representatividade. No entanto, diante da necessidade de aprofundamento em algumas discussões, como a renovação do contrato com o Plano de Saúde, ficou definido que estas serão pautadas em nova assembleia, já com as comissões formadas e inteiradas do assunto.

O terceiro ponto de pauta foi a prestação de contas do fundo de greve. Na ocasião, foi informado que osaldo residual do fundo de greve será destinado à aplicação financeira e será utilizado nas próximas greves da categoria.

Ao final da assembleia, como informe geral, Flávio Sereno fez o relato sobre a reunião da Fasubra com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), realizada no dia 19. Na ocasião, a Fasubra questionou o Ministério sobre a extinção de cargos e solicitou a abertura de negociação salarial. Foi questionado também sobre a proposta do governo de reestruturação das carreiras que pode ameaçar o PCCTAE. Uma nova reunião está agendada pra 28 de fevereiro. Confira a matéria no site da Fasubra.