Relato da assembleia de greve do dia 12/08/2015. Fique mais informado. | SINTUFEJUF

Relato da assembleia de greve do dia 12/08/2015. Fique mais informado.

Assembleia Geral de 12/08/2015 no Restaurante

Universitário – Centro

 

Os servidores técnico-administrativos em educação da UFJF estiveram reunidos em assembleia as 9h do dia 12 de agosto de 2015 no Restaurante Universitário (Centro). Para discutir o orçamento da UFJF e tentar justificar os cortes no Proquali, assembleia contou com a participação do Pró-Reitor de Planejamento, Orçamento e Gestão Alexandre Zanini. A mesa foi composta pelo coordenador geral do Sintufejuf Paulo Dimas de Castro, o coordenador da Fasubra Flávio Sereno eos representantes do Comando Local de Greve Márcio Sá Fortes e Patrícia Mafra. A assembleia teve início com o minuto de silêncio pelo falecimento do servidor do Hospital Universitário, Helio Omar da Silva Moreti. Em seguida, a mesa passou a palavra para o presidente da Apes Joacir Teixeira Melo que agradeceu o convite, fez o relato sobre a greve dos docentes e a necessidade de ações conjuntas com os servidores. A mesa passou a palavra para o Pró-Reitor de Planejamento, Orçamento e Gestão Alexandre Zanini, que apresentou a planilha de orçamento da UFJF. O pró-reitor teve dez minutos iniciais de explanação, para depois responder as perguntas da assembleia. Ele afirmou que está a disposição de toda a universidade, para ir em qualquer unidade para esclarecer a questão orçamentária. Ele informou que deverá apresentar ao MEC até amanhã (13) a Lei Orçamentária de 2016. Em seguida, apresentou um balanço da evolução da lei orçamentária de 2005 a 2015, expôs as receitas próprias da universidade, como pagamento de taxas, aluguéis de cantinas e Caed. De acordo com Zanini, para cumprir o que foi prometido pela administração superior referente ao Proquali, seria necessário fazer ajustes, o que significaria deixar de honrar outros compromissos. Sendo assim, expondo a planilha orçamentária, o pró-reitor afirma que se quiserem contar com os R$5,4 milhões, a universidade poderia até cumprir, mas questiona aos servidores de onde poderia cortar para isto. Respondendo às perguntas feitas pelos presentes, Zanini justificou os gastos em obras realizadas na universidade, em Juiz de Fora e Governador Valadares, afirmando que as mesmas somente aconteceram porque foram aprovadas pelo Conselho Superior. Falou sobre os gastos com o Planetário e Jardim Botânico. Segundo ele, com o Planetário foram gastos R$13 milhões para a construção, além de R$8 milhões em equipamentos, e portanto, não colocar para funcionar seria um grande desperdício da verba investida. Zanini afirmou também que, caso a greve termine, a Universidade tem plenas condições de manter o funcionamento até dezembro. No entanto, o pró-reitor expôs a preocupação com as obras no campus de Governador Valadares, cuja verba disponível não é suficiente para a conclusão. Em relação a pergunta sobre a alimentação do portal de transparência, Zanini afirmou que o mesmo não é realizado por falta de tempo. Após o final do debate com o pró-reitor, teve início o relato dos delegados que participaram do comando Nacional de Greve entre os dias 20 de julho e 7 de agosto (retorno da caravana). O primeiro a falar foi Silvestre dos Santos. Ele contou que chegou em Brasília na noite de 20 de Julho, no entanto, as atividades só começaram no dia 22. Pela manhã, aconteceu a “Marcha dos SPFs”,com encerramento às 13h30. No dia 23 foi exibido um filme sobre consciência negra e discriminação racial. A tarde aconteceu uma vigília no Ministério do Planejamento, durante reunião do governo. A partir da proposta de 19% de reajuste, surgiu a necessidade de organizar a Caravana para os dias 05 e 06 de agosto e aumentar a pressão sobre o governo. De acordo com Silvestre, a partir do dia 27, ficou responsável pela Infraestrutura, e após o dia 30, junto com o coordenador da Fasubra, Roberto, passou a providenciar a documentação da Caravana.

Segundo Flávio Sereno, durante as três semanas em que esteve em Brasília, aconteceram cinco reuniões com o governo, três marchas pela esplanada dos ministérios, três reuniões do Fórum dos SPFs, além de pelo menos duas reuniões semanais do Comando Nacional de Greve, e das atividades de vigília.

Para fazer parte do Comando Nacional de Greve, após o retorno dos atuais delegados Heronides Meireles e Maria Angela Costa, a assembleia referendou os nomes de Rogério Silva e Patrícia Mafra.

Sobre a participação na Caravana, fizeram relato Rosângela Frizzero, Geraldo Maria e Igor Coelho.

A mesa convidou a categoria para participar das próximas atividades agendadas pelo Comando Local de Greve: Reunião do Consu (dia 13, às 8h30); Vigília no MAM (dia 17, horário a ser informado); Assembleia com ato no saguão da reitoria (dia 19, às 9h); reunião do Comando com reitor no campus (dia 14, 14h).

No final da assembleia, a servidora Edna Canobietti pediu a palavra. Ela reclamou sobre as falhas do Sigepe, e o tratamento negativo recebido pelas funcionárias responsáveis pela recuperação de senha do sistema. A mesa prometeu levar a reclamação para ser discutida no Comando Local de Greve. A próxima assembleia está agendada para o dia 19/08 no Saguão da Reitoria e uma reunião aberto com o Reitor será dia 14/08 às 14h.

 

A assembleia é encerrada pela mesa.

 

Comando Local de Greve/Sintufejuf