Informes de greve do dia 17/06/2015 | SINTUFEJUF

Informes de greve do dia 17/06/2015

Informe de Greve – 17/06/2015

Assembleia – Restaurante Universitário

Ato – Hospital Universitário

Reunião com reitor

 

            Os servidores técnico-administrativos se reuniram em assembleia no dia 17 de junho, no Restaurante Universitário, Centro. Compuseram a mesa o coordenador geral do Sintufejuf Paulo Dimas de Castro, os representantes da Fasubra Flávio Sereno e Maria Ângela Costa e a representante do Comando Local de Greve, Patrícia.

A assembleia teve início com os informes nacionais. Paulo Dimas falou sobre a reunião com a administração superior ocorrida na segunda-feira e os resultados positivos desde o início da greve, entre eles, a moção de apoio da reitoria, e o despacho do ministro sobre a legalidade da greve. Paulo Dimas convidou os presentes para o ato que seria realizado ao final da assembleia no HU, seguindo a orientação da Fasubra.

            Flávio completou o informe de Paulo Dimas, acrescentando que o Comando Nacional de Greve da Fasubra criou página no Facebook.

            Para compor o Comando Nacional de Greve, foram eleitos por unanimidade os delegados Luiz Roberto Pereira e Márcio Sá Fortes.

Janemar Melandre falou sobre a importância de deixar claro para a mídia o desmonte em que se encontram os hospitais universitários independente da greve. Não é a greve que deixou o hospital abandonado, foi o governo, que mesmo com a adesão à Ebserh, falta material e profissionais nos hospitais. A greve é para mostrar que os servidores são contra esse descaso.

            Márcio Sá Fortes fez um relato sobre a reunião do Proquali, em que a administração expõe falta de recursos, e ameaça não dar continuidade ao edital no segundo semestre. Afirma também que a segunda parcela do retroativo das bolsas ainda não tem data para sair.

            Maria Ângela fala sobre os problemas no setor de vigilância, em que o diretor ameaça cortar o adicional noturno dos servidores que aderirem a greve.

            O vigilante Edson afirma que desde que ingressou no setor, nunca houve corte de adicional noturnoem greve. Eleexplica que antigamente o setor contava com mais de 70 trabalhadores, e atualmente caiu para 29. Segundo ele, existe uma pressão da direção para que os trabalhadores noturnos não façam greve.

            O coordenador do Sintufejuf e também vigilante, Luiz Roberto fala sobre a falta de respeito do diretor, e afirma que se a direção do setor se nega a pagar, o reitor deve responder politicamente por isso e tomar uma decisão.

Maria Ângela falou sobre a suspensão do SISU, proposta em assembleia e encaminhada para o Comando Nacional de Greve da Fasubra pelos delegados Rogério da Silva e Igor Coelho. Aprovada pela Federação, a proposta foi então colocada novamente em votação nesta assembleia e aprovada por unanimidade.

            Ao final da Assembleia, os servidores presentes de dirigiram para o Hospital Universitário (Santa Catarina), onde estava marcado um ato a partir das 11h.

Na parte da tarde, um ofício foi entregue pelo comando de greve ao reitor da UFJF, Julio Chebli, comunicando a decisão da assembleia de suspender o SISU e o Pism por tempo indeterminado.  

 

O Comando agendou duas assembléias, uma dia 24 no Restaurante Univesitário (14h) e outra dia 30 às 18h no Hu – Santa Catarina)

 

Diretoria Executiva do Sintufejuf