Informes de greve do dia 15/07/015 | SINTUFEJUF

Informes de greve do dia 15/07/015

Informe de greve – SINTUFEJUF

 

Assembleia Geral de 15/07/2015

Pauta: greve

Restaurante Universitário – Centro

 

Os servidores tecnico-administrativos em educação da UFJF estiveram reunidos em assembleia as 14h do dia 15 de julho de 2015 no Hospital Universitário (Centro). A mesa foi composta pelos coordenadores gerais do Sintufejuf Paulo Dimas de Castro e Lucas Simeão, a coordenadora de Educação e Formação Sindical do Sintufejuf Leda Faria e o representante do Comando Local de Greve Márcio Sá Fortes.

     A assembleia teve início com o convite feito pelo coordenador Paulo Dimas para participação do dia Nacional de Doação de Sangue.

     Em seguida, Márcio Sá fez o relato sobre sua participação no CNG desde o dia 23 de junho, até o final da caravana, 09 de julho. Márcio fez o mesmo relato da assembleia realizada ontem no Hospital Universitário, falou sobre as ações no Congresso Nacional e a participação em eventos em Brasília, como a parada do orgulho LGBT e o ato contra a redução da maioridade penal.

Sobre a caravana, Márcio elogiou a participação dos companheiros e admitiu os problemas estruturais.

     Lucas Simeão relembrou diversas vitórias da categoria nos últimos anos, ressaltando a importância da mobilização na obtenção de conquistas. Em seguida, Lucas fez a leitura do Informe de Greve do CNG, com o relato sobre a reunião de negociação ocorrida no dia 09 de julho e a avaliação do comando.

     Dando continuidade a fala de Lucas, Flávio Sereno lembrou que estão em curso simultaneamente três negociações. A primeira, o Conjunto dos Servidores Públicos Federais, a segunda, a pauta específica da Fasubra e a terceira, a pauta local. Em relação ao cenário nacional, ele destaca que a Fasubra tem se mostrado mais aberta à negociação. A reunião do dia 09 de junho foi marcada assim que começou a divulgação da caravana, a reunião dos SPFs e Fasubra aconteceu logo no primeiro mês de greve e geralmente só acontecem no segundo ou terceiro mês. Este ano também não houve até o momento encaminhamento de corte de ponto.

     Paulo Dimas falou sobre a programação da semana, com presença do CLG em Santos Dumont a pedido dos IFETs. Segundo Paulo, tanto em Santos Dumont quanto em Juiz de Fora, a greve está marcada para a próxima semana, o que representa um fortalecimento do movimento.

 

 

 

 

 

    

 

 

 

 

 

 

 

     Aproveitando a fala, coordenador do sindicato encaminhou para votação para ser referendado os novos nomes indicados para o Comando Nacional de Greve (Flávio Sereno e Silvestre dos Santos) e o fundo de greve para ser descontado no mês de setembro. Os dois encaminhamentos foram aprovados por unanimidade.

     Em sequência, a mesa abriu para os relatos sobre a caravana.

     O primeiro a falar foi Wanderson Tavares. Para ele a caravana foi positiva, o ônibus muito confortável, e o único problema foram os banhos, pois os caravaneiros precisavam ser deslocados de ônibus para o centro olímpico da Unb. Ele destaca que a caravana contou com a visita do deputado Chico Alencar e do vereador Babá.

Rogério parabeniza a organização da caravana, o companheiro Márcio que separou o espaço para os caravaneiros de Juiz de Fora se instalarem e aguardou a chegada do ônibus. Rogério afirma que a caravana foi um sucesso e parabeniza também o Comando Nacional de Greve pela condução da negociação e o respeito com a categoria. Segundo ele, os Técnico-administrativos em educação estão dando exemplo para todos os servidores públicos federais.

     Sebastião Arnaldo Glansmmann reclamou da infraestrutura oferecida pela Fasubra que não proporciona o mínimo de conforto e higiene para os mais idosos, que merecem respeito. Geraldo Maria defende que todos já sabiam quais eram as condições, no entanto o que faltou não foi conforto, mas dignidade ao caravaneiros. A última caravana ofereceu uma infraestrutura melhor, havia tablado no chão para reduzir o frio à noite. Geraldo adverte que se chovesse, não haveria condições de permanecer na barraca, pois a mesma ainda por cima estava com o teto todo furado. Para Nilza Lino a caravana foi boa, mas concorda com as críticas o Geraldo. Em relação as reclamações que aconteceram na caravana, quando alguns participantes sugeriram retornar no dia 08, após o fim das atividades, Nilza lembra que havia sido distribuído um papel informando horário de saída e retorno, e que para a segurança dos caravaneiros, o mesmo deveria ser respeitado. Sebastião Portugal concorda que na caravana anterior a estrutura foi melhor, ele também reclama dos buracos na tenda e da sujeira dos banheiros químicos. José Henrique Lopes pede para as pessoas que tem problemas de saúde levem seus remédios de uso contínuo nas próximas caravanas, pois o que o sindicato oferece são apenas os medicamentos básicos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     Terminam os relatos sobre a caravana. O coordenador de aposentados do Sintufejuf, Ricardo Bonfante protesta contra o fechamento do acesso do sindicato ao Museu Murilo Mendes, praticado pelo diretor José Alberto Pinho Neves. Maria dos Remédios avisa sobre o pagamento das bolsas Proquali. Leda Faria fala sobre sua participação na formulação de critérios para ocupação dos prédios de moradia estudantil e pede sugestões.

     Carlos Augusto faz o relato sobre sua participação no Encontro Jurídico da Fasubra e repete os mesmos informes feitos na assembleia realizada no HU.

 

 

 

 

A assembleia é encerrada pela mesa.

 

Diretoria Executiva do Sintufejuf