Informe de greve da assembleia do dia 09/06 no RU - Centro | SINTUFEJUF

Informe de greve da assembleia do dia 09/06 no RU - Centro

Informe de greve – SINTUFEJUF

 

Assembleia Geral de 09/06/2015

Pauta: greve

Restaurante Universitário - Centro

 

Os técnico-administrativos reunidos em assembleia no dia 09/06/2015, às 9h, no Restaurante Universitário (Centro) fizeram uma análise de conjuntura, discutindo sobre a greve dos servidores técnico-adminstrativos em âmbito nacional e local e referendaram a escolha do Comando Local de Greve de que o coordenador do Sintufejuf Rogério Silva e o servidor Igor Coelho façam parte da composição do Comando Nacional de Greve em Brasília. Compuserama mesa o Coordenador Geral do Sintufejuf, Paulo Dimas de Castro, os representantes da Fasubra Maria Ângela Costa e Flávio Sereno, e representando o Comando Local de Greve, Heronides Meireles.

            A assembleia teve início com o relato do coordenador Paulo Dimas sobre os setores já parados na Universidade Federal de Juiz de Fora. Segundo ele, o transporte está parado, havendo funcionamento apenas de ambulâncias, manutenção e segurança. Os dois restaurantes universitários também estão parados, assim como a biblioteca central e quase todas as bibliotecas setoriais. O Hospital Universitário está funcionando em escala. O coordenador afirma que alguns setores estão funcionando porque ainda não foi possível receber a visita do Comando Local de Greve. Paulo Dimas ressaltou também que em reunião do Conselho Superior ocorrida na última quarta-feira, 3, com a presença da direção de cada setor da UFJF, foi aprovado por unanimidade o apoio à greve dos TAE’s. A mesma informação foi ressaltada posteriormente na fala de Heronides.

Em relação à matéria divulgada na TV integração na noite de ontem, 08, na qual a Universidade responsabiliza a greve dos servidores pelo cancelamento do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, Paulo Dimas esclareceu que a emissora não abriu espaço para fala do sindicato ou do Comando Local de Greve. Apenas solicitou que fosse enviada uma nota. A mesma não foi lida pelo jornal, apenas foi extraído um trecho, fora de contexto, que da forma como foi colocada pela repórter, o Comando Local de Greve estaria assumindo esta responsabilidade, o que não é verdade. O coordenador leu a nota na íntegra para os TAEs presentes na assembleia.

Flavio Sereno falou sobre a pauta local que foi distribuída na assembleia, e a necessidade urgente de fazer uma reunião entre o CLG e a reitoria. Comunicou também, que, conforme foi deliberado pelo CLG, toda quarta-feira às 9h, haverá assembleia no Restaurante Universitário, e haverá também, em caráter experimental, a tentativa de realizar assembléias no turno da tarde no RU, e à noite no HU.

Maria Ângela informou sobre a visita ao protocolo e almoxarifado. No primeiro, ficou estabelecido que somente serão entregues materiais perecíveis ou judiciais, e em relação ao segundo, qualquer demanda deverá ser encaminhada ao CLG para avaliação da urgência.

Ela esclareceu também o hospitais universitários não estão funcionando, não é por causa da gerve, mas porque não tem funcionário nem material

Janemar Melandre falou sobre a situação dos Hospitais Universitários, dando destaque para a unidade Dom Bosco. Ela afirma que, em respeito às pessoas que tem dificuldade de deslocamento e que muitas vezes vêm de outras cidades, as consultas já marcadas estão sendo atendidas. Segundo ela, três setores já estão funcionando com 30%, no entanto ainda existem problemas em alguns setores para fazer a escala de greve, entre eles centro cirúrgico e hemodiálise. Jane lembrou também os problemas enfrentados por que faz APH, e fez uma leitura do comunicado enviado pelo Diretor do HU, atual superintendente da Ebserh, Dr. Dimas sobre a questão.

Janemar ressalta que este ano a adesão de servidores do HU à greve está maior que nos anos anteriores, atribuindo este fato aos problemas enfrentados com a falta de funcionários e de material. A coordenadora comunica que as camisas dos servidores do HU em apoio à greve estão prontas, e serão entregues nominalmente.

Dando continuidade a fala de Jane, Ronaldo denuncia que alguns chefes de unidade estão utilizando o APH para coagir funcionários a não fazer greve. Ronaldo propõe para um Dia de

Heronides destaca que o Comando Nacional de Greve é composto por representantes de apenas 12 universidades, sendo que já são 57 universidadesem greve. Ele destaca os nomes de Rogério da Silva e Igor Coelho para o CNG, e colocaem votação. Os nomes são aprovados por unanimidade. Heronides informa que já são 22 universidades com adesão dos docentes à greve.

Flávio Sereno faz uma leitura de alguns pontos do último Informe de Greve enviado pela Fasubra. Relata também uma nota publicada pelo MEC dizendo que os TAEs entraram em greve sem que ainda tenha sido feita a negociação, e destaca a nota publicada pela Fasubra em resposta.

Marcio de Sá comentou a matéria que saiu na imprensa, alertando que este tipo de conduta vai se repetir sempre, que é colocar a culpa de tudo o que acontecer na universidade no movimento paredista. Para ele, é importante dar visibilidade à greve, apontando que é realmente o inimigo da classe: o governo. Márcio convida a categoria para fazer parte do comando local de greve.

Rogério da Silva destacou que a greve foi deflagrada no dia 28 de maio e já no dia 29, o diretor do hospital universitário convocou uma reunião com os companheiros do comando para organizar o HU.

Patrícia chamou a atenção para o momento de cortes do governo, que nesta greve, a categoria aponta que não concorda com este cenário. Ela faz um encaminhamento para a mesa, sugerindo que sejam divulgadas notas explicando para a população os reais motivos da mobilização, mostrando a situação em que a universidade já se encontrava antes da deflagração da greve.

Heronides propôs a suspensão do Sisu e outras modalidades de matrícula durante a greve.

Ao final da Assembleia, foram votados e aprovados os seguintes encaminhamentos:

 

  1. Suspesão do Sisu e Pism – dias 21 e 22 (Heron)
  2. Dia Nacional de Doação de Sangue (Ronaldo)
  3. Direito de resposta à TV integração (Rosangela)
  4. Nota de esclarecimento à população sobre os motivos da greve (Patrícia)

 

 

  

            A assembleia é encerrada pela mesa.

 

 

Diretoria Executiva do Sintufejuf