Comando local de greve se reune com Reitor e apresenta a pauta local dos técnico-administrativos em greve. | SINTUFEJUF

Comando local de greve se reune com Reitor e apresenta a pauta local dos técnico-administrativos em greve.

Comando Local de Greve-Sintufejuf se reune com reitor            

O Comando Local de Greve e servidores da Universidade reuniram-se com o reitor, Júlio Maria Chebli, na tarde de ontem (15) para discutir os 16 pontos de pauta da greve. Os cortes do Governo, o Proquali (Programa de apoio a qualificação dos servidores) e o Campus de Governador Valadares foram alguns dos temas da reunião. Será encaminhado um oficio ainda essa semana com todas as respostas da reitoria para os pontos de pauta apresentados.

            Acompanhado do vice-reitor, Marcos Chein, do pró-reitor de Planejamento, Orçamento e Gestão, Alexandre Zanini, da Pró-reitora de Recursos Humanos, Gessilene Zigler Foine e da pró-reitora de Apoio Estudantil, Joana de Souza Machado, o professor Júlio Chebli começou a reunião informando o prazo para a entrega do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) para o dia 30 de junho e que não poderia ser alterada essa data.

            A pró-reitora de apoio estudantil, Joana Machado falou a respeito da necessidade do pregão a ser realizado para selecionar assistentes sociais para avaliar os formulários socioeconômicos da bolsa de apoio. Além disso, o servidor José Francisco Fernandes Junior entregou um oficio ao reitor e a pró-reitora com as demandas dos trabalhadores do setor, com destaque para a necessidade de melhoria na infraestrutura e novos equipamentos.

            Na reunião, também foi discutido a respeito do Campus de Governador Valadares. Dentre os pontos de pauta, está a eleição paritária para a direção do campus. O reitor informou que a eleição será dessa forma e organizada pelas entidades representativas.

            Os representantes da administração assumiram diversos compromissos com a categoria. A respeito da criação de uma Secretaria da Mulher, eles afirmaram que irão criar uma coordenação dentro da Diretoria de Ações Afirmativas. Além disso, o Programa para a Qualidade de Vida no Trabalho dos Servidores Públicos Federais da UFJF irá lançar um projeto de prevenção ao assédio moral.

            Outro ponto importante debatido foi o Programa de Avaliação de Desempenho da UFJF. A Pró-reitora de Recursos Humanos ao ser questionada a respeito do prejuízo que os servidores que não foram avaliados ou obtiveram uma nota insuficiente poderiam sofrer, garantiu que estão reestruturando e avaliando o programa e, que nenhum servidor será afetado nesse período e que dependendo do caso, o servidor poderá ter uma avaliação separada.

            O Hospital Universitário também foi discutido na reunião. Os três pontos específicos foram apresentados e somente a eleição do Diretor do HU para após o fim da greve foi acatada. A retirada do ponto eletrônico teve como justificativa a EBSERH, dizendo que a empresa seria responsável pela manutenção do ponto. O reitor informou ainda que o contrato com a EBSERH foi aprovado pelo Conselho Superior e por isso, a decisão da revogação do mesmo não dependia dele.

            O Vice-Reitor, Marcos Chein, posicionou-se contra o Programa de Treinamento Administrativo, essa foi uma das questões levantadas na proposta da pauta local. Os representantes da administração prometeram estudar melhor o programa para tomarem uma posição.

            O corte do orçamento feito pelo Governo Federal atingiu a Universidade, esse foi o discurso do Pró-reitor de Planejamento, Orçamento e Gestão. Ao iniciar a discussão sobre o Proquali, Alexandre Zanini informou que os valores negociados anteriormente com a categoria, no momento são inviáveis, ou seja, os 5,4 milhões destinados para o PROQUALI precisarão ser cortados de outro lugar. Os técnico-administrativos exigiram o cumprimento da negociação e afirmaram que quando foi feito o acordo o cenário de crise já estava desenhado. O reitor prometeu analisar a situação e tentar manter o valor para as bolsas.