Comando Local de Greve apresenta pautas à Reitoria da UFJF | SINTUFEJUF

Comando Local de Greve apresenta pautas à Reitoria da UFJF

Na manhã de ontem, segunda (13), o Comando Local de Greve das e dos Técnico-Administrativos em Educação (TAEs) da UFJF se reuniu com a Reitoria da Universidade para apresentar as pautas locais da greve deflagrada na última sexta-feira (10). Todas as pautas foram discutidas e aprovadas pela categoria na assembleia de deflagração da greve. São elas:

 

  • Suspensão do PROADES durante a greve;
  • Suspensão do cronograma do ponto eletrônico e flexibilização durante a greve;
  • Abertura do portão de acesso e entre SINTUFEJUF/MAMM;
  • Adequação da representação dos TAEs nos órgãos colegiados;
  • Retorno da possibilidade dos TAEs coordenarem projetos de extensão, sem necessidade de docentes na coordenação;
  • Possibilidade de TAEs coordenarem projetos de pesquisa;
  • Manutenção do preço atual do RU para todos os trabalhadores (TAEs, docentes e terceirizados) e estudantes;
  • Desenvolvimento de uma política de afastamento para qualificação/capacitação dos TAEs;
  • Implementação do Fórum da Diversidade;
  • Inclusão de representação TAE no Conselho Técnico do Jardim Botânico;
  • Manutenção de vagas no PROFIAP;
  • Eleição direta para representação das unidades acadêmicas no CONSU, incluindo a possibilidade de TAEs concorrerem;
  • Não repasse da responsabilidade de elaboração de propostas de definição de nenhuma parte do orçamento exclusivamente ao fórum de diretores.

Por deliberação do Comando Local de Greve, alguns serviços da Universidade se encontram paralisados. Na reunião de hoje, a Reitoria, que já havia enviado sua proposta de funcionamento de diversos setores, recebeu a pauta local do CLG e, a partir disso, as negociações se iniciaram.

O Comando Local de Greve, em resposta à Reitoria, afirmou que os serviços essenciais, que se enquadram na garantia de funcionamento mínimo (30%) são a segurança e o hospital universitário (HU). Ambos estão prestando atendimento à população e garantindo o funcionamento mínimo. Segundo a diretora do Sintufejuf, Eliane Souza, “é muito importante a paralisação dos serviços para dar visibilidade e fortalecer o movimento”. Outras duas reuniões de negociação, entre o Comando Local de Greve e a Reitoria, já estão agendadas para essa semana.