Assembleia de greve - 29/09/15 | SINTUFEJUF

Assembleia de greve - 29/09/15

Informe de greve – SINTUFEJUF

 

Assembleia Geral de 29/09/2015

Pauta: greve

Restaurante Universitário

 

Os servidores técnico-administrativos em educação da UFJF estiveram reunidos em assembleia as 9h do dia 29 de setembro de 2015 no Restaurante Universitário/Centro. A mesa foi composta pelo coordenador geral do Sintufejuf Paulo Dimas de Castro, além do representante da Fasubra, Flávio Sereno e dos representantes do Comando Local de Greve, Heronides Meireles, e Igor Coelho. A assembleia teve início com o apoio à greve dos técnico-administrativos manifestado por Maria Adelina Brás, da Secretaria da Coordenação Política do SINDSEP. Priscila Fraga, do movimento estudantil, também manifestou apoio aos TAEs e convidou para participação na Assembleia Estadual da Anel, a ser realizada em Marina MG. Em seguida, Paulo Dimas de Castro fez a leitura detalhada do informe Nacional de Greve da Fasubra e convocou a todos os presentes para participar do ato no Museu de Artes Murilo Mendes, MAMM. Segundo Paulo Dimas, entre os pontos de pauta da reunião do Conseho Superior, marcada para as 14H no MAMM, estava a revogação da suspensão do calendário acadêmico, por isso a importância do movimento. Flavio Sereno falou sobre o abono permanência, e a matéria publicada no Jornal Folha de São Paulo, relatando em números os servidores públicos que seriam afetados com o corte. Sobre a situação local, Flavio destacou que segundo levantamento da PRORH, dos 3530 trabalhadores da UFJF, 324 recebem o abono permanência, o que representa um total de cerca de 306 mil reais na folha de pagamento de setembro. Heronides Meireles destaca que as informações de Flávio Sereno não estão completas, tendo em vista que existem companheiros que ainda iriam começar a receber o abono. O servidor fala também sobre a situação dos trabalhadores terceirizados, que estão sem rebeber vale transporte e auxílio alimentação, e com isso, tiveram uma perda de R$600 em benefícios. Heronides comunicou sobre a reunião a ser realizada na reitoria, amanhã, 30, às 15h, para tratar desse assunto, além da pauta local do TAEs. Maria dos Remédios também falou sobre a reunião do Conselho Superior, hoje, 29, em que estava para ser votado o retorno do calendário acadêmico. Wanderson Tavares tira dúvidas sobre o abono permanência, sendo esclarecido por Paulo Dimas e Heronides, que todos os trabalhadores que recebem ou que ainda iriam receber, caso seja aprovado, terão o benefício cortado. A servidora Rita Rosório ressalta que o corte do abono é um problema sério para a categoria. Com tantos gastos desnecessários feitos em Brasília não deveria descontar a crise financeira na classe trabalhadora. Segundo Rita, não existe mais motivos para ela voltar a trabalhar. Rita rfala também sobre a política necessária na universidade, exigência de Mestrado e doutorado para técnico-administrativos, uma vez que não são apenas os docentes que precisam estudar. Segundo Igor Coelho, hoje pode ser votado o fim da suspensão do calendário acadêmico, embora ainda tenhamos duas categorias em greve na universidade. Voltar as aulas desestabilizaria os professores que não teriam as condições básicas para dar aula. Igor pede aos conselheiros que defendam a manutenção da suspensão do calendário até que se acabe a greve. Conforme Paulo Dimas, o fim do abono permanência vai extinguir a mão de obra de TAEs na universidade. Sem terceirizados e sem TAEs, a única mão de obra que vai existir serão estudantes recebendo bolsa. Para o estudante de Governador Valadares, Munin de Castro, a luta não pode parar quando a greve acabar. Ele afirma que os sete representantes dos estudantes votarão contra a volta do calendário acadêmico. Heronides afirma que a retomada do calendário acadêmico é um ataque ao movimento sindical. Em relação ao corte do abono, para ele, é preciso trabalhar na construção de um documento conforme aprovado em assembleia anterior, para fazer uma campanha de conscientização dos deputados em cada estado. A estudante Priscila Fraga falou sobre os 17 dias de ocupação da reitoria, que resultaram na construção de um acordo com a administração superior. No entanto, a maioria dos pontos não foi colocada em prática. Conforme Priscila, é preciso pressionar a reitoria para pressionar o governo. Felipe Santos pede desculpas por ter esquecido de Governador Valadares na última assembleia, tendo se precipitado na divulgação do resultado. Sobre o abono permanência, sugere que seja feita uma moção de repúdio. Patrícia Mafra e Silvestre dos Santos são indicados para compor o Comando Nacional de Greve, de 02 a 11 de outubro de 2015. Paulo Dimas anuncia a próxima assembleia para sexta-feira, 02 de outubro, às 9h no Restaurante Universitário, Centro. A assembleia é encerrada pela mesa.

 

Diretoria Executiva do Sintufejuf